Iluminação de ambientes interiores

Os diferentes tipos de iluminação interior

Existem diferentes tipos de iluminação de ambientes interiores. Uma grande parte desses vários tipos de iluminação podem combinar entre si, criando assim ambientes muito agradáveis e acolhedores. A maior dificuldade, muitas vezes nem é combiná-los, mas sim classificá-los de uma forma eficaz, de tão semelhantes que às vezes eles são. O que sabemos, e é uma certeza absoluta com a qual todos concordamos, é o seguinte: a escolha de uma boa iluminação melhora a decoração das casas e pode fazer com que os elementos decorativos “ganhem vida”, se destaquem e brilhem. Por outro lado, se se escolher o tipo errado de iluminação, a decoração da casa poderá parecer desconexa e algo desordenada. Sendo assim, é primordial saber escolher os melhores tipos de iluminação dispô-los convenientemente nos espaços, para que a decoração dos ambientes apresente um aspeto profissional e agradável.

Iluminação interior

Alguns tipos de iluminação interior completam a decoração desta sala de estar

Iluminação interior

  • Iluminação direta – A incidência das luz direta nos espaços interiores é muito importante. É tão importante que, mesmo antes da construção da nossa casa, deveremos ter em conta a orientação da luz solar. Para termos o máximo aproveitamento da luz externa é conveniente que as janelas tenham umas dimensões razoáveis, sendo também aconselhável deixar grandes superfícies envidraçadas com vidro duplo. É uma boa forma de poupar energia e usufruir da claridade diária do sol.
  • Iluminação ambiente – É a iluminação que dá a atmosfera a um espaço interior. Pode estar ao nível do solo, ou até meia escondida. Apresentando pequenos focos de luz, produzindo apenas um pequeno brilho, este tipo de iluminação é vital para dar às casas um ambiente mais acolhedor.
  • Iluminação focada – Neste caso, a iluminação proveniente de focos, incide sobre uma ou várias peças de mobiliário que se pretendem destacar. Deve dar-se realce aos objetos decorativos favoritos, colocando sobre eles alguns pontos de luz a incidir diretamente sobre eles. Mas não se deve cair em exageros. Como noutras situações da vida, o equilíbrio e o bom senso são fundamentais.
  • Iluminação standard – Os candeeiros de pé são alguns dos elementos que se inserem nos tipos de iluminação standard. Podem ser altos, baixos, mais ou menos robustos, etc. Deve ter-se especial atenção na escolha do abajur, pois pode marcar a diferença num projeto decorativo.
  • Iluminação de parede – A iluminação de parede produz um efeito semelhante às luzes de ambiente colocadas no chão. Com este tipo de iluminação, a decoração dos espaços interiores fica sublime e bastante ousada, cheia de brilho e de glamour.
  • Lustres e iluminação de teto – Os candeeiros são indicados para as salas de jantar, escritórios ou outros espaços similares. A decoração de uma sala de jantar não ficará completa sem que tenha um imponente luste ao centro, a brilhar com todo o seu esplendor.
  • Iluminação embutida – Atualmente, a iluminação embutida tem vindo a ganhar terreno nas decorações de casas modernas. Trata-se de um tipo de iluminação prática, que não necessita de grandes limpezas (ao contrário dos lustres), mas que também não mostra grande brilho. É uma luz mais opaca, pois o foco de iluminação encontra-se parcialmente escondido pelo local onde está embutido. É a iluminação ideal para espaços de passagem, como corredores, ou pequenos recantos da casa (um espaço mais privado de uma sala de estar, por exemplo).

Muito mais haveria a dizer sobre os tipos de iluminação de ambientes interiores, pois são elementos fundamentais para que a decoração funcione em pleno. Poderá também gostar de ler sobre a iluminação natural e artificial na decoração de interiores ou sobre a iluminação de interiores. Caso tenha algo mais a acrescentar sobre a iluminação de ambientes interiores, sinta-se à vontade para o fazer, na caixa de comentários que se segue. Boas decorações!


Deixe o seu comentário